Resistir, representar e unir

Postado por: admin Categoria: Notícias

so.a.lutaO processo de impedimento da Presidenta da República, malgrado o fato de não atender de forma sólida e incontestável seu requisito formal de processamento – o apontamento de um ou mais crimes de responsabilidade cometidos no exercício do mandato – é apenas a ponta do iceberg de um movimento muito mais profundo e sinistro que é o avanço das forças conservadoras sobre a agenda política e econômica brasileira, que poderá resultar em graves retrocessos nas relações de trabalho no Brasil.

Essas forças que assomam e sustentam o novo governo Temer acenam, em nome do combate à crise, com a implementação de medidas que restringem ou retiram direitos dos trabalhadores, arduamente conquistados ao longo de muitos anos de luta, e que podem provocar o desmantelamento das políticas de inclusão e distribuição de renda, de ganhos reais para o salário mínimo, além da redução da participação do Estado nas áreas de saúde, educação e previdência.

Os trabalhadores, ao que parecem, pagarão o pato.

Resistir. Representar. Unir. Eis o que o movimento sindical tem que fazer para enfrentar a atual situação em que o Brasil se encontra.

Considerando todo este cenário, a Fenattel (Federação Nacional dos Trabalhadores em Telecomunicações), a qual o Sinttel RN é filiado, publicou nesta terça-feira, 10/05, uma nota em que divulga seu posicionamento diante da atual conjuntura política.

De acordo com o nota, a “defesa dos direitos e conquistas sociais e econômicas dos trabalhadores” e aposentados será sempre a maior preocupação da Federação.

Segue a nota na íntegra:

São Paulo, 10 de Maio de 2016

A Direção Executiva Nacional da FENATTEL, reunida em São Paulo/SP nesta data, diante da cenário de instabilidade política, caracterizado por marchas e contra-marchas dentro dos poderes Legislativo e Judiciário, e considerando seu impacto sobre toda sociedade, em especial sobre a Classe Trabalhadora, decidiu:

* Reafirmar as deliberações unitárias tomadas pela categoria em seus congressos e instâncias, inclusive em defesa do Estado Democrático de Direito.

* Reafirmar o caráter plural da FENATTEL e seu firme posicionamento em defesa dos direitos e conquistas sociais e econômicas dos trabalhadores.

* Posicionar-se com firmeza contra as ameaças de retrocesso e contra a ofensiva dos setores patronais, predominantes no Congresso Nacional, e que se materializam em mais de 51 projetos de Lei que atentam diretamente contra conquistas sociais e os direitos dos trabalhadores, dos aposentados, além das ameaças de retrocesso contra direitos da juventude, das mulheres, das minorias e do meio ambiente.

* Valorizar, como sempre o fez, o respeito à liberdade e autonomia dos sindicatos.

* Chamar os sindicatos filiados a unirem-se em torno do programa de lutas unitário da FENATTEL, para fazermos frente a todo esse cenário e enfrentar seus desdobramentos nos processos de negociações coletivas, demissões e precarização do trabalho.

A FENATTEL reitera, por fim, que o que está em jogo são as bandeiras da classe trabalhadora e a sua defesa intransigente é o que une todos os sindicatos filiados, independente da filiação às diferentes centrais sindicais.

Em defesa da Democracia e por uma sociedade mais justa e mais fraterna!

A Direção Executiva da FENATTEL

Compartilhar este post

Deixe um comentário


× WhatsApp