Segunda proposta da AeC é também de amargar

Postado por: admin Categoria: Notícias

emoticon.aecNa reunião ocorrida no último dia 24, a AeC apresentou uma segunda proposta aos Sintteis do RN e do CE para o acordo coletivo de 2017, que é difícil de “tragar”. Confira:

* Piso salarial equivalente ao novo salário mínimo (R$ 937,00);
* Para os salários acima do piso e para o auxílio creche (36 meses), um reajuste de 6,58%, em duas parcelas, sendo 5% em janeiro e 1,58% em março;
* Manutenção do plano de assistência médica
* Vigência por dois anos e reajuste automático pelo INPC em 1º de janeiro de 2018.

Traduzindo: a proposta da AeC significa tão somente o a reposição de R$ 57,00 nos salários dos atendentes! É ou não é de amargar?

NÃO! DISSERAM OS SINDICATOS

Os Sintteis do RN e do CE rejeitaram a proposta amarga da AeC e apresentaram uma contraproposta, num esforço em prol do consenso negocial. Confira:

=> Piso salarial de 937,90 (INPC integral);
=> Reajuste de 6,58%, em janeiro, para os salários acima do piso, para o auxílio creche e para os vales alimentação de quem trabalha 08 horas;
=> Implantação dos vales alimentação de R$ 6,00 por dia para os que trabalham 06 horas;
=> Auxílio creche para as trabalhadoras que têm filhos com até 48 meses de vida.

OS TELEOPERADORES DA AeC TAMBÉM QUEREM VR

Os trabalhadores que têm jornada de 6 horas também querem e fazem jus aos vales alimentação, assim como os teleoperadores das demais empresas de call center no país.

A CRISE(?), SE EXISTE, É PARA TODOS

Um dos grandes argumentos da AeC para não implantar os vales alimentação para os teleoperadores neste ano é a famigerada crise econômica do país. Ora, se é fato que a crise existe, imagina-se que afeta todo o setor de teleatendimento, seja em menor ou maior escala. Mas nem por isso as demais empresas de call center deixam de cumprir a convenção nacional de teleatendimento e pagam os vales alimentação para os teleoperadores!

Logo, não é justo que a AeC continue crescendo no mercado e economizando milhões de reais nas costas dos teleoperadores, que não querem lanche; querem os vales alimentação.

AS PROPOSTAS ESTÃO NA MESA!

Existe a disposição de negociar por parte dos sindicatos, agora cabe aos representantes da AeC botar a mão na consciência e no bolso, abrindo mão da sede de mais lucro para apresentar uma proposta mais tragável, que contemple os vales alimentação para os teleoperadores.

SEGURA QUE LÁ VEM PRESSÃO!

Ninguém se surpreenda: a AeC vai colocar os seus prepostos de plantão na pressão em cima dos trabalhadores para aceitarem a sua proposta amarga. Claro! Mas o Sinttel está firme no propósito de esgotar todas as possibilidades, em prol de ganhos para os trabalhadores, em especial os vales alimentação para os teleoperadores. Mas, para que sejamos todos vitoriosos nessa luta, é preciso não temer ameaças e construir muita unidade. Dizer não à pressão, pois “a cantiga da perua” é uma só: crise econômica e ameaça do desemprego, porque isso significa mais lucro para ela.

Compartilhar este post

Deixe um comentário


× WhatsApp