0

A verdade sobre a reforma da previdencia

ref.previd.webO governo golpista de Temer revela-se como o verdadeiro exterminador do futuro. Depois da PEC da Morte, que congela os investimentos em saúde (destruindo o SUS), da educação e dos programas sociais por 20 anos, agora quer acabar com o seu legítimo direito à aposentadoria. O próprio Temer se aposentou aos 54 anos e recebe R$ 30.613,00, mas o que vale para ele não valerá para você.

A previdência está quebrada, como diz a propaganda do governo?

Não. A previdência não pode ser analisada isoladamente. O governo golpista oculta informações e faz uma conta enganosa, considerando apenas o total de contribuições pagas pelos trabalhadores. A Constituição prevê que Previdência faz parte de um sistema amplo conhecido como Seguridade Social, que é sustentada financeiramente pela receita previdenciária e por outros impostos e taxas de contribuições sociais, como CSLL, COFINS, PIS/PASEP e receitas de órgãos de seguridade. Somando as diversas fontes de financiamento, o resultado é positivo. Em 2015 o superávit foi de R$ 11,2 bilhões.

Vai ter idade mínima para a aposentadoria?

Sim, caso a reforma seja aprovada, a idade mínima para a aposentadoria será de 65 anos, com 25 anos de contribuição. A regra passará a ser igual para homens e mulheres. Ou seja, a proposta do governo ilegítimo de Michel Temer desconsidera a desigualdade de gênero existente no mundo do trabalho. As mulheres realizam o trabalho mais precários, têm salários em média 30% menores e permanecem menos tempo no mesmo emprego, devido à responsabilidade familiar e a ausência de políticas públicas do cuidado.

Com 65 anos, o trabalhador pode se aposentar com 100%?

Para se aposentar com 100% será necessário contribuir por 49 anos. Esse é o maior golpe de todos. O tempo de contribuição de 49 anos certamente impedirá grande parte dos jovens brasileiros de se aposentar. Quem conseguir, o fará a partir dos 70 anos, no fim da vida, e pouco poderá desfrutar do descanso merecido da aposentadoria, já que, no Brasil, os cidadãos vivem 75 anos, em média.

As regras vão atingir integralmente os mais jovens. Veja-se o setor de teleatendimento, que concentra trabalhadores na faixa etária de 19 a 30 anos, jovens em sua maioria no primeiro emprego, ingressando no mercado de trabalho. Um trabalhador de call center de 20 anos, por exemplo, que começa a contribuir nesta idade, se quiser receber o benefício integral, se aposentará com 69 anos, isso se pagar ininterruptamente a contribuição.

E a aposentadoria especial também será afetada?

Sim. Hoje os trabalhadores expostos a atividades perigosas ou insalubres têm direito a aposentadoria integral com 15, 20 ou 25 anos de trabalho (dependendo do risco). Temer quer que esses trabalhadores contribuam por, no mínimo, 20 anos e só se aposentem aos 55 anos. O cálculo da aposentadoria será 51% do salário médio mais 1% por ano de contribuição. Ou seja, eles ficarão mais tempo exposto ao risco e não terão mais aposentadoria integral.

Em caso de morte do trabalhador, os dependentes receberão pensão?

Se a reforma for aprovada, o beneficiário não poderá acumular pensão e aposentadoria. Será preciso escolher uma das duas. A pensão deve ser de 50% da aposentadoria do trabalhador falecido, mais 10% por dependente, podendo ser inferior a 1 salário mínimo.

Essas regras valem para todos?

A reforma só não atinge os militares. O restante dos trabalhadores brasileiros serão afetados.

Calculadora

É possível calcular automaticamente com quantos anos você conseguirá se aposentar, caso essa reforma do mal seja aprovada. O Brasil de Fato elaborou uma calculadora on line no seu portal (www.brasildefato.com.br/calculadora-da-aposentadoria), para que cada trabalhador possa projetar a idade que se aposentará com as regras atuais e com as regras da reforma articulada pelo governo golpista.

Como votarão os deputados federais? NÃO DEIXE QUE ELES VOTEM CONTRA VOCÊ.

Agenda de lutas

Para resistir e barrar mais este golpe contra o povo brasileiro, centrais sindicais e movimentos sociais se organizam para ir às ruas e convocam todos os trabalhadores para uma agenda de lutas. Participe ou não teremos direito à aposentadoria!

Dia 8 de março – Mobilização no Dia Internacional da Mulher, com trabalhadoras e trabalhadores contra a Reforma da Previdência.

Dia 15 – Paralisação Nacional Contra o Fim da Aposentadoria

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>