A empresa V*tal chega chegando?

Postado por: Sinttel RN Categoria: Notícias

A V*TAL NÃO PODE DESPREZAR A EXPERIÊNCIA DOS TRABALHADORES E DAS EMPRESAS TERCEIRIZADAS, COMO SE FOSSEM MERAS PEÇAS DESCARTÁVEIS.

OS TRABALHADORES ESTÃO UNIDOS E, JUNTOS COM O MOVIMENTO SINDICAL, EM NÍVEL NACIONAL, ESTÃO DE OLHO NA TAL V*TAL.

ENTENDA O CENÁRIO – Com o avanço do processo de reestruturação da Oi, inclusive a venda da operação de telefonia móvel para o consórcio TIM-Vivo-Claro, se constata um redesenho econômico e geográfico no mercado competitivo das telecomunicações, no Brasil.

Em razão disso, uma das novidades é o surgimento da empresa V*TAL, que tem a Oi como um dos principais acionistas, mas é controlada pelo Banco BTG Pactual, o seu maior investidor.

Tudo bem a V*TAL “chegar chegando” como uma grande prestadora de serviços de redes de telecomunicações, tendo como principal meta a expansão da rede de fibra ótica e o 5G. Mas tudo tem limite!

A V*TAL NÃO PODE CHEGAR CHEGANDO E PRECARIZANDO

O que não pode é a V*TAL, inclusive com a anuência da Oi, em nome da sua expansão e lucratividade, desempregar centenas de pais de família e nem “estrangular” as atuais empresas terceirizadas, cujos contratos, como todos sabem, são extremamente aviltados e estão nos limites dos custos, com uma mão de obra já super reduzida.

O SINTTEL/RN ALERTA: V*TAL, CRESÇA JUNTO COM OS TRABALHADORES, CASO CONTRÁRIO, VAI TER “A TAL LUTA”.

O Sinttel RN e os trabalhadores de rede, desde já, denunciam à toda sociedade os riscos que correm a qualidade dos serviços prestados e os próprios trabalhadores, que poderão ser demitidos ou, os poucos que ficarem, terem salários ainda mais baixos e com direitos e benefícios extintos, caso se confirme a versão que está na boca do povo: “que essa nova empresa de redes vai promover a mais brutal precarização do trabalho nas telecomunicações, através de uma licitação que terá o único objetivo reduzir os custos.” ESTAMOS DE OLHO!

O SINTTEL DISCUTIU COM A SEREDE PROBLEMAS QUE AFETAM OS TRABALHADORES

Em reunião realizada no último dia 11/03 com a Serede, com a participação dos gerentes das áreas de recursos humanos, frota, remuneração variável, fibra e home connect, o Sinttel apresentou os principais problemas que afetam os trabalhadores, e solicitou providência imediatas. Confira abaixo:

=> ASSÉDIO MORAL É CRIME: face a denúncias de assédio moral praticado por um determinado supervisor, a empresa afirmou não concordar em hipótese nenhuma com esse tipo de prática e, atendendo solicitação do Sinttel, enviará à Natal um gerente para apurar o caso e tomar as providências cabíveis. O SINTTEL ESTÁ DE OLHO

=> Descontos nos salários dos de vários trabalhadores em decorrência de horas negativas apontadas indevidamente: A empresa destacou uma força tarefa para apurar e ressarcir os valores descontados. A empresa não informou a data do ressarcimento, mas, tão logo conclua o levantamento, comunicará ao Sinttel e aos trabalhadores afetados pelo referido desconto.

=> Não pagamento de vales alimentação a alguns trabalhadores que tiveram covid: A empresa não reconheceu esse débito justificando “que o decreto governamental que determinou estado de pandemia face ao coronavirus se exauriu em 2021”.

=> Remuneração variável (RV): Vale esclarecer que o plano de remuneração variável não é negociado com o Sinttel, é implantado unilateralmente pela empresa que define todos os critérios, em especial as metas. De todo modo, na opinião do Sinttel esse plano de RV deve ser revisto urgentemente, vez que várias metas são inatingíveis, logo não resultam em premiação justa aos trabalhadores que, mesmo assim, ralam duramente todos os dias. Atendendo solicitação do Sinttel, a Serede realizará reunião específica para apresentar o plano de remuneração variável e explicar o porquê das metas e as suas mudanças repentinas.

VEM AÍ A CAMPANHA SALARIAL 2022 DOS TRABALHADORES DA SEREDE

O Sinttel já já convocará uma assembleia para que os trabalhadores analisem, sugiram e aprovem a pauta de reivindicações para o acordo coletivo de trabalho da Serede 2022. Aguardem!

Compartilhar este post

Deixe um comentário


× WhatsApp