Fenattel denuncia política da VIVO de empurrar goela abaixo

Postado por: admin Categoria: Notícias

vivoOs novos gestores da VIVO estão tentando adotar o modelo de empurrar sua vontade goela abaixo, que era costume da GVT. Os Sindicatos e a Fenattel suspenderam a última reunião de negociação imediatamente, diante dessa conduta desrespeitosa na mesa, por parte dos atuais patrões da VIVO.

Na reunião realizada semana passada em 15 de outubro, a Comissão Nacional de Negociação da Fenattel enfrentou a atitude antissindical, uma característica do “modelo GVT de gestão” que poderá piorar e muito o ambiente na VIVO. No dia anterior, de forma arbitrária, a corretora TCS (Telefônica Corretora de Seguros) unilateralmente informou à ABET, gestora do PLAMTEL, que este não seria mais o plano de saúde da Telefônica/Vivo.

Além da iminente perda de qualidade do plano médico, que é o benefício mais valorizado pelos trabalhadores por assegurar uma boa assistência para suas famílias, a forma de atuação da Vivo nessa questão foi deprimente e traiçoeira, pois foi feito pelas costas dos Sindicatos.

Diante disso, a bancada sindical de São Paulo se retirou da reunião e foi solidariamente acompanhada pelos sindicatos dos demais estados do Brasil. As negociações foram suspensas e o Sintetel e a Fenattel exigiram da empresa esclarecimentos sobre o assunto.

As relações sindicais entre as partes devem ser respeitadas. Já são mais de 40 anos de acordos coletivos assinados e não permitiremos que essa história seja desrespeitada e jogada no lixo, em nome de um modelo ganancioso conduzido pela empresa como se ela tivesse sido tomada por uma “tropa de choque”.

Não permitiremos que mexam em nossos direitos!

Trabalhador, temos de resistir a esse ataque aos nossos direitos, pois como diz o ditado “porteira que passa boi passa boiada”. Precisamos nos mobilizar e protestar contra essa atitude arrogante e descabida.

A Fenattel e os Sindicatos exigem da VIVO as garantias legais de transparência e compartilhamento de todas as questões que envolvem seus mais de 35 mil funcionários. Isso é questão de honra.

Trabalhador, juntos somos mais fortes!

Compartilhar este post

Deixe um comentário


× WhatsApp